03/06/2008

Vaga garantida


Depois de passar por duas difíceis qualificações, o profissional carioca Phillipe Gasnier garantiu uma vaga para disputar o US OPEN, um dos quatro maiores torneios do mundo, que será disputado de 9 a 15 de junho no Torrey Pines Golf Course, em San Diego, na Califórnia.

No dia 12 de maio, Gasnier passou na primeira fase da classificação jogada no campo do Avila Golf Club, em Tampa-Flórida. Com 72 tacadas, o par, Gasnier ficou com o 4º lugar e conseguiu a classificação. Os outros três primeiros colocados tiveram scores de 70, 71 e 71.

Ontem, dia 02 de junho, Phillippe jogou a fase final e terminou em segundo lugar com parciais de 69 e 71. Foi uma disputa de 36 buracos no campo do Jupiter Hills Golf Club, Florida – mesmo campo que o profissional jogou a fase final ano passado. Totalizando 140 tacadas, o carioca ficou a apenas duas tacadas do campeão Bobby Collins.

Apesar excelente resultado, a conquista não foi fácil. O caddie do carioca não compareceu e o jogador teve que carregar sua bolsa nos primeiros 9 buracos num campo com muita subida e descida até que o clube providenciasse um novo caddie. Fora isso, Gasnier precisou enfrentar um calor infernal nos 18 buracos da manhã, duas horas e 20 minutos de atraso entre as duas rodadas, por causa da chuva, e outra hora de interrupção durante um temporal à tarde que lhe rendeu ainda uma caimbra na perna direita. “ Dificil manter a calma numa hora dessas, especialmente pelo cansaco físico e mental ”, conta.

Agora com sua vaga garantida, Gasnier torna-se o primeiro brasileiro a jogar o U.S. Open, desde que Mário Gonzalez e Walter Ratto participaram do torneio de 1941. “Gostaria de aproveitar a oportunidade e agradecer a todos àqueles que estavam torcendo por mim”, agradece o carioca que completa: “Fico feliz por mim e pelo golfe brasileiro, espero que isso ajude no crescimento do esporte no nosso país”

Em seu depoimento enviado à FGERJ, Gasnier aproveitou também para dedicar o resultado ao psicólogo Esmerino, que atualmente também trabalha com os juvenis cariocas. Após o fraco desempenho no Aberto do Estado do RJ, no Gavea Golf, Phillipe voltou a trabalhar com a ajuda de Esmerino e, nesse pouco tempo, o psicólogo conseguiu com que o nosso profissional estivesse psicologicamente preparado para essa classificação. “Esse feito é fruto de muito trabalho e vontade, mas nao teria conseguido isso sem ele.” dedicou Gasnier referindo-se ao psicólogo.