15/04/2014

FGERJ lança projeto “O Futuro do Golfe”


A Federação de Golfe do Estado do Rio de Janeiro lançou no dia 14 de abril, no Gávea Golf Club, um programa inédito e inovador que promete dar treinamento de primeiro mundo e recursos para que 12 jovens talentos do golfe brasileiro possam desenvolver seu jogo e representar o Brasil no circuito mundial e até nos Jogos Olímpicos. O projeto "O Futuro do Golfe" contará com uma estrutura e equipe profissional de primeira qualidade e seguirá os padrões internacionais de ensino esportivo, abraçando dois pilares: performance esportiva e formação educacional, tendo como patrocinadores a Raízen, a Estácio, a Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Rio de Janeiro, através da Lei de Incentivo ao Esporte.
Um grupo de golfistas apaixonados pelo esporte comanda o projeto que tem Estélio Dantas como supervisor; Abílio Pereira Jr, como diretor; e o profissional Rafael Navarro como técnico dos jogadores, que tem ainda o apoio de Tiago Silva, que joga ao lado dos meninos. Luiz Henrique Lopes Leão Teixeira, presidente da FGERJ, não poderia haver ocasião melhor para a iniciativa. "Depois de mais de 100 anos de espera, o golfe voltará, em 2016, e justamente no Brasil, a ser modalidade olímpica". lembra o presidente da entidade que criou o projeto. "Isso será uma grande inspiração para esses jovens jogadores e espero que esse momento especial que vivemos sirva para alavancar de vez a modalidade no país", completa.
Atletas – Inicialmente, doze participantes serão treinados e monitorados por uma equipe de sete profissionais altamente capacitados, que incluirá um fisiologista e supervisor, um técnico esportivo, uma preparadora física, um psicólogo, um fisioterapeuta, uma nutricionista e um médico para dar todo o suporte para a evolução esportiva dos selecionados. Os centros de treinamento serão todos os clubes filiados à Federação de Golfe do Estado do Rio de Janeiro. Além disso, alguns jovens poderão ganhar bolsas de ensino na Estácio para que optem entre a vida de atleta profissional ou ingresso no trabalho em sua área de formação acadêmica. 
Os atletas escolhidos para iniciar o projeto são Daniel Ishii, Thomas Sampaio, Jack Loughride, Célia Luz, Raquel Ventriglia, Raphael Ventriglia, Anderson Nunes, Breno Domingos, Luca Stallone, Lucas Barcellos, Giulia Malmann e Vitória Araújo.
Critérios – O processo de escolha dos 12 primeiros atletas contemplados para participar do projeto foi bastante criterioso. Eles tiveram que passar por uma bateria rigorosa de exames e avaliações. "Diversos fatores foram levados em conta para nossa decisão, como testes físicos, psicológicos, biomecânicos, genéticos, técnicos, nutricionais, posturais e bioquímicos com os meninos e meninas", explica Estélio Dantas, supervisor do O Futuro do Golfe. "Analisamos detalhadamente os resultados de cada item e o somatório de todos esses índices nos deu a resposta dos jovens mais promissores da modalidade".
Abílio Pereira Jr, diretor do projeto, traça metas audaciosas. "A ideia é desenvolver grandes talentos brasileiros e transformá-los em atletas de ponta da modalidade", conta. "Com a estrutura que montamos e experiência de nossos profissionais, estamos bastante confiantes no resultado", afirma. Para Abílio, um dos diferenciais da iniciativa é que ela não tem caráter apenas esportivo. "No nosso planejamento, os jogadores não ficarão restritos ao golfe, mas seguimos um modelo consagrado, onde os esportistas de alta performance têm bolsas em universidade e condições perfeitas de treinamento e preparação".
O projeto "O Futuro do Golfe" é patrocinado pela Raízen, Estácio, Secretaria de Esporte e Lazer do Governo do Estado do Rio de Janeiro, através da Lei de Incentivo ao Esporte; e possui o apoio da Confederação Brasileira de Golfe, além das parcerias: FSR Produções com a produção executiva e a Tuut com a comunicação visual.