29/06/2005

Slope System e Unibanco AIG


Uma nova fase do Golfe Brasileiro está surgindo. É o Slope System que começa a ser implantado no país pela CBG e com total apoio de seu presidente Álvaro Almeida (foto), juntamente com o patrocínio inédito no golfe brasileiro do Unibanco AIG.

Para quem não conhece o Slope System, ele pode ser entendido como um sistema que determina de uma nova forma o handicap do jogador. É utilizado em por mais de 40 países e seu diferencial é que esse sistema considera as dificuldades existentes em cada campo de golfe e a sua influência na performance do praticante.

“Parabenizo a CBG que vai transformar em realidade um antigo sonho do golfe nacional”, comemora o Presidente da FGERJ, George Berliner.

O handicap de um jogador brasileiro, hoje em dia, é definido de uma forma geral, sendo o mesmo para os diferentes campos de golf, aqui no país ou no exterior. Isso não permite que o golfista obtenha um resultado justo para o seu nível de jogo num determinado campo. Com a implantação do Slope System, os golfistas brasileiros só tem a ganhar.

Porém para o sonho se tornar realidade, uma detalhada avaliação terá de ser feita nos 105 campos de golfe existentes no país. O responsável desta missão será o Diretor de Handicap da CBG, Miguel Dorin. Ele já iniciou o trabalho de implantação do Slope System treinando um grupo de jogadores voluntários e o próprio já passou por um treinamento técnico na United States Golf Association (USGA), associação que criou o sistema em 1972.

A determinação do índice de dificuldade de cada campo consistirá em medir nove tipos de obstáculos que são apresentadas ao golfista durante o jogo: topografia (desníveis do solo), raia (dificuldade em manter a bola dentro da raia), alvo do green (dificuldade em colocar a bola no green), recuperação do rough (dificuldade em voltar à raia), azares de areia, azares de água, árvores, fora de campo (riscos de se jogar a bola fora de campo), green (dificuldade no green até o buraco) e obstáculos psicológicos surgidos no decorrer do campo.

Apesar da jornada longa e difícil que comanda, Dorin está confiante nos resultados a serem produzidos por ela. “O slope system não fará ninguém jogar melhor, mas aumentará a competitividade dos nossos jogadores quando eles atuarem fora de seu próprio campo”, completa.